Dimíter Ánguelov, “Sol Oposto”: 4.

– Proveniência?
– Canárias.
– São sementes de quê?
– Cana-da-índia.
– Só pode importar três sementes de cada vez.
– Isso não faz sentido.
– É a Lei. Já imaginou se todos… Um dia éramos empurrados e afogados ao mar. Afogávamo-nos como ratos. Milhões de ratos.
– Alguns, alguém há-de salvar-se.
– Seja como for. Rodrigues, as sementes levam selo branco?
– Não me diga que…
– Não estou a falar com o senhor.
– Só as que têm diâmetro superior ao do selo.
– E as vagens? Estas não têm diâmetro, pois não?
– Não, essas não têm diâmetro. Aliás a lei é clara: “Sementes que carecem de diâmetro ficam isentas de selo branco.” Está estipulado.
– Pode seguir.
Dei um passo e ouvi:
– Um momento. E esta carta, na sua mão, contém sementes?
– Contém mas são de outra espécie. É uma espécie sem diâmetro, não encapsulada, mas com determinados parâmetros e de difícil enraizamento. Numa palavra, ideias…
– Matéria ideológica?
– Não. Isentas de qualquer preocupação ideológica, partidária, religiosa, nacional ou internacional. Pensamentos livres, curiosos, inúteis,
– Referente às ilhas, ao continente? Ou relacionados com o mundo?
– Relacionados necessariamente com o mundo por ter o mundo, isto é, o universo, o feitio de uma vagem de paredes duplas, sem sementes, estéril e sem aproveitamento prático. Não queira que lhe forneça mais elementos sobre a composição e o seu funcionamento. Porque nos tornamos estranhos mesmo para os mais próximos quando passamos a pensar e a conceber o seu mundo à nossa maneira. Na origem desse mundo está uma infinitude de opiniões, posições, controvérsias de baixo valor teórico.
– Que o mundo seja assim, é compreensível. Que não possa mudar, ainda aceito. Mas que exista – é algo que não pode ter explicação. Portanto, o único valor a declarar é o envelope?
– É, sim senhor. É o envelope, quer dizer, a forma de todo o espaço que preenche o meu imaginário, depositado por razões de segurança neste envelope vazio.
– O senhor não pode entrar no país com um envelope vazio. É a Lei.
Valerá a pena tentar mudar as leis apenas com três sementes e pensamentos difíceis de enraizar no país, fora do mundo ou noutro lugar qualquer?

2 thoughts on “Dimíter Ánguelov, “Sol Oposto”: 4.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s