Aforismos de Dimíter Ánguelov

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
  
  
fotografia: Dimíter Ánguelov
 

É assim que um aforismo é feito: apanha os pontos certos de um fio narrativo, junta-os num nó e desfaz-te do resto.

A liberdade, caro passarinho, não é sair da gaiola, mas ser capaz de voar com ela.

Há tão poucas verdades que para serem vistas elas precisam ser aumentadas com mentiras muito grandes.

Aumentamos o raio de uma verdade quatro vezes, depois multiplicamos-o por 2π e obtemos o perímetro de uma grande mentira.

Examinámos o nada em proximidade de um ângulo diferente: o nada parecia o mesmo; nós não.

Eu levantei-me contra todos. Começaram o odiar-me. Pus-me de acordo com todos. Condenaram-me.

Os rouxinóis cantavam mal, tão mal que nem sequer mereciam o seu nome. Mas é assim frequentemente com a poesia.

No cume da felicidade nunca há lugar para dois.

Atámos as duas pontas do fio de Ariadne e obtivémos uma labirinto perfeito.

O senso comum é como uma bola: não importa quanto a desviemos, nunca viaja para muito longe do seu centro.

Observa a Ursa Maior cuidadosamente e descobrirás que as formas são apenas uma aparição de números.

A maior das dificuldades começa quando o nosso maior sonho se torna na nossa única oportunidade.

A evolução é uma longa cadeia, que se divide em dois, quatro e assim por diante, e o número de elos cresce incessantemente. Até que todos desaparecem com a divisão do último elo.

O eixo perfeito é aquele que é desprovido de tudo excepto do movimento.

O verdadeiro filósofo tem uma única tarefa: a de demonstrar que em filosofia ninguém está absolutamente certo, incluindo ele, que pretende estar.

 
Traduzido do búlgaro para o inglês por Valentin Krustev e Donna Martell, e do inglês para o português por mim, com uma ajudinha do Google Tradutor.
 
Dimíter Ánguelov nasceu (parece que) em 1945. Desde 1981, vive em Portugal. Tem uma licenciatura ou um outro grau superior em filologia germânica, mas encontrou a sua paixão na filosofia e nas línguas românicas. Trabalhou como crítico literário, professor e tradutor. Tem livros editados na & etc, na Ática e noutras editoras, aparentemente escritos em português, e para além disso parece ser uma personagem algo misteriosa da qual é difícil saber mais do que isto que acabei de adiantar.

One thought on “Aforismos de Dimíter Ánguelov

  1. Pingback: Aforismos de Dimiter Ánguelov (II) | Mil Milhões de Centopeias

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s